domingo, 27 de dezembro de 2009

Elas cantam Paulinho da Viola - com Fabiana Cozza


Boa noite,

E o ano de 2010 nem começou e já teremos samba.

Lançando um CD com canções apenas de Paulinho da Viola, Fabiana Cozza e outras grandes cantoras, fazem show no primeiro final de semana do ano no Sesc Vila Mariana em São Paulo.

Nos dias 02 e 03/01 Fabiana Cozza, Cida Moreira, Alaíde Costa e Milena fazem o lançamento do CD 'Elas Cantam Paulinho da Viola'.

Coloquei abaixo vídeos da expoente cantora Fabiana Cozza cantando o mestre Paulinho.

O show que acontecerá no Sesc Vila Mariana, contará com um sexteto formado por piano, contrabaixo, bateria, violão, percussão, cavaquinho/bandolim.

Quem: Fabiana Cozza, Cida Moreira, Alaíde Costa e Milena.
Onde: SESC Vila Mariana
Quando: 02/01, 03/01 (sábado, às 21h; domingo, às 18h)



segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Sombrinha no Seu Zé


É amigos,

Esta semana ainda nos renderá algumas boas surpresas.

O destaque vai para o show do Sombrinha que acontecerá na quarta-feira no simpático bar do Seu Zé. O show custará R$ 20 e é imperdível para quem ainda estiver pela cidade.

Além disto, no mesmo dia acontece show do grupo Opalas e Clube do Balanço na Aldeia Turiassu, também a R$ 25.

Para quem ainda quer esquentar a frigideira antes da ceia do natal as opções tão aí.

Bom samba!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Monarco no Bar Samba e muito mais


Boa noite,

Para quem, como eu, imaginava um dezembro com sambas leves, a agenda vem mostrando ao contrário, e tenho mais algumas novidades que acontecerão nesta semana.

Ontem aconteceu um show dos grandes e peço desculpa por não ter conseguido comunicar a tempo. O show reuniu Paulo Cesar Pinheiro, um dos mais importantes letristas do Brasil com a majestosa Fabiana Cozza.

No Bar Brasileirinho, que desconheço, acontecerão grandes atrações como o Mestre Monarco no sábado e Sobrinha no domingo. Estou encaminhando o site, e caso alguém conheça o bar e queira comentar, seria bem vindo. O mesmo mestre Monarco se apresenta na sexta-feira no Bar Samba.

O grupo Quinteto em Branco e Preto tem jornada dupla no domingo, se apresentando a tarde no CCJ Ruth Cardoso e a noite na casa Vila Barroca em Santo André.

Para complementar a excelente semana, ainda pode-se conferir o show do Jorge Ben no SESC Pompéia e Hamilton de Holanda no Auditório Ibirapuera.

Resumindo:

Quem: Monarco
Quando: 18/12
Onde: Bar Samba - Rua Fidalga, 308

Quem: Monarco
Quando: 19/12
Onde: Bar Brasileirinho - Av. Aricanduva, 13000
http://www.barbrasileirinho.com.br/

Quem: Sombrinha
Quando: 20/12
Onde: Bar Brasileirinho

Quem: Quinteto em Branco e Preto
Quando: 20/12
Onde: CCJ Ruth Cardoso e Vila Barroca – respectivamente: Av.Deputado Emílio Carlos, 3.641 e Rua Padre Manoel da Nóbrega, 414, em Santo André.
http://ccjuve.prefeitura.sp.gov.br/

domingo, 13 de dezembro de 2009

Prestação de contas: Elza Soares


Boa tarde,

Saí de casa por volta das 20h para ir ao show da Elza. O evento ocorreria no Teatro Fecap, na região central da cidade, bem próximo à Estação Liberdade do Metrô. Fui buscar minha companhia e pelo caminho encontrei uma das maiores dificuldades do paulistano no momento, o trânsito agravado por uma árvore gigante e feia próximo ao Ibirapuera, e ao mesmo tempo o trânsito formado pelas pessoas que vão à Paulista ver as luzes de natal. Nada contra o natal, mas convenhamos que estas coisas poderiam ser melhor organizadas tanto pelo governo, quanto por nós.

A expectativa pelo show era muito grande, Elza é destas artistas que os fãs de música costumam comentar que é a conhecida “boa de palco”, algo parecido com “boa de cama”, porém para as questões musicais e artísticas. Outros nomes se encaixam neste perfil, e tem seus ingressos esgotados quando surge um show: Maria Bethânia, Luiz Melodia, Ney Matogrosso, entre outros.

Mesmo com a chuva forte que assolava a cidade e o trânsito caótico e desproporcional para um sábado à noite, conseguimos chegar ao show a tempo de pegarmos nossos lugares e aguardar a presença da cantora.

As luzes se apagaram de lá surgiram o excelente violonista e compositor João de Aquino, junto ao seu prodigioso filho também violonista, e de um percussionista interessante por sua árvore genealógica, uma vez que o “moleque” era neto de Donga, conhecido precursor do samba.

Iniciaram o show apenas os três músicos, num instrumental de um clássico de Dorival Caymmi. A cantora só viria na próxima música, ajudada por sua equipe, pois tinha o tornozelo torcido e não conseguia nem se manter em pé. No centro do palco uma poltrona fora posicionada para que a cantora se sentasse e fizesse o show.

Elza estava com seu costumeiro visual arrojado: um vestido longo vermelho, sobrancelhas postiças, a boca avermelhada, e acima um pinta negra. Lembrava as antigas divas dos anos 50 com o coque propositalmente bagunçado sobre a cabeça.

A cantora se sentou de forma provocativa sob a poltrona reclamando de não poder ficar de pé e fazer o show como gostava, uma vez que se autointitula hiperativa. Quem pensava que o show seria diminuído por esta limitação logo foi se dissipando da idéia com a primeira canção da cantora.

A voz desta mulher que se eterniza na música nacional é única, uma força que derruba as expectativas de qualquer ouvinte, tamanha a naturalidade e a técnica apresentada. Transformando músicas conhecidas do cancioneiro popular brasileiro, em novas obras primas, devido à interpretação e emoção incluídas nas músicas.

O repertório eclético vai de Johnny Alf à composições de Lulu Santos, do clássico Dorival Caymmi ao sambista Jorge Aragão, sempre com através de uma forma própria de interpretação, carregado de suingue, negritude, numa mistura de blues, samba, jazz e das raÍzes desta cantora provinda de Padre Miguel.

Durante a apresentação o músico João de Aquino e Elza mostram intimidade e um humor divertidíssimo das histórias da música popular brasileira. A platéia acompanhava o tom intimista do show como cúmplice desta amizade.

O show se desenrolou com canções rasgantes na voz e na força desta mulher com uma história de vida única tamanha sua força e capacidade de enxergar a importância da mulher bem à frente do seu tempo.

O show foi impressionante, e por um baixo valor acabei assistindo um dos melhores shows do ano – em minha opinião. Interessante é se perguntar por que uma artista como esta fica fora da mídia, muito mais preocupada com seus namoros com garotões e nas suas últimas plásticas do que com a incrível performance que ela consegue imprimir nos palcos.

Elza e suas manifestações são o retrato de um Brasil ainda imaturo, que ao mesmo tempo apresenta talento, criatividade, técnica, mas que muitas vezes se deixa sucumbir pela falta de foco , pelo pré julgamento e pelo pensamento antiquado em alguns aspectos sociais.

Obrigado Elza por sua ousadia, sua originalidade e sua paixão em fazer-nos apaixonar por você.

sábado, 12 de dezembro de 2009

Prestação de contas: Nei Lopes no Bar Samba



Boa noite,

Ontem fui ao Bar Samba. Casa de shows de samba, simpática que fica na Fidalga e que tem uma decoração linda. Apesar de achar a casa cara, e com muitos "turistas" do samba.

Havia um motivo especial para estar lá, o mestre Nei Lopes lancaria seu novo livro em SP e além disto promoveria uma apresentação na roda que acontece as sextas com o excelente grupo Dose Certa.

Nei Lopes chegou por volta das 23h, e a casa estava cheia, talvez não tanto para ver o show do mestre, mas estava cheia, tanto que verão nos vídeos que enquanto o aetista falava o pessoal continuava a conversar e fazer muito barulho.

Cantor, compositor, historiador, o mestre recebeu o prêmio Jabuti por ter escrito o melhor livro didático de 2008 e na noite de ontem que ganhou o troféu que até então não havia visto.

No show repertório clássicos do samba e a tradicional levada do samba falado que o caracteriza, sempre com muito bom humor e observação do cotidiano brasileiro.

Nei Lopes é deste senhores típicos do samba carioca. Falante, engraçado e com muitas histórias para contar, como a que gravei, que fala sobre as abas de chapéu e o sambista. Com camisas do estilo Agostinho da Grande Família, um dos maiores sambistas do estilo sincopado e partido alto,Nei mostrou seu valor e botou a galera para sambar. Não bastasse este dom, ainda lançou seu primeiro romance e esbanjou simpatia ao atender quem quisesse um autógrafo.

Vida longa ao Nei!

Em tempo o livro chama-se: “Mandingas da mulata velha na cidade nova". Confira

Nei Lopes conta porque é um otário com sorte


Nei Lopes canta "Sambista Perfeito"



Nei Lopes canta "Só chora quem ama" e "Boteco do Arlindo"

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Então Leva!

Música maravilhosa de Bira da Vila e Luiz Carlos da Vila na interpretação genial de Zeca Pagodinho.



Então Leva

Leva
Tudo aquilo que eu dei
Mas não leva
Tudo o que eu podia dar

Leva o Van Gogh e o bulldog
De raça que eu criei
E a medalha que um jogo de malha
Nos aproximou

Leva o aparelho de jantar
E a baixela de prata
E o retrato daquela mulata
Que o Lan desenhou

Leva a obra completa
De Machado de Assis
Entre as curvas e retas
Sua bissetriz

Leva o apartamento
Que está desocupado
Já que não quer mais viver
Ao meu lado
Então, leva

Leva
Tudo aquilo que eu dei
Mas não leva
Tudo o que eu podia dar

Ia lhe dar sol e terra
E casa à beira-mar
Num château lá no alto da serra
À luz do luar

E ao invés de parabéns
Uma bela serenata
Com direito a Mar del Plata
Cancún e Paris

Leva a sua grandeza
Que me fez feliz
Leva também a certeza
Que eu também lhe fiz

Leva o meu coração
Que está desocupado
Já que não quer mas viver
Ao meu lado

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Tito Amorim na Vila do Samba

Boa noite,

Nesta sexta meu grande amigo e seguidor da linha dos grandes intérpretes, Tito Amorim, se apresentará na Vila do Samba. Imperdível!



segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Nei Lopes no Bar Samba


Boa noite,

Para quem não sabe, além de cantor, compositor, Nei Lopes é um excelente escritor, tendo livros importantes para se entender muito sobre o samba e a cultura afro brasileira, livros como o indicado ao Jabuti, “História e Cultura Africana e Afro-Brasileira” e outros que contam a formação do Rio de Janeiro e do samba como: “Partido-Alto: Samba de Bamba”, “Sambeabá: o Samba que Não se Aprende na Escola”, entre outro mais.

Porém pela primeira vez o autor se arriscará em romances com o livro "Mandingas da mulata velha na cidade nova". Vale ler a reportagem do JB, que conta com entrevista do mestre Nei Lopes e de ninguém menos que Paulo César Pinheiro, ambos se enveredando pelos caminhos da literatura, e enriquecendo-a ainda mais com representantes legítimos do samba.

http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/11/28/e281127641.asp

O livro que já foi lançado no RJ, será também lançado em SP nesta sexta-feira dia 11/12, no Bar Samba e é um evento imperdível para escutar o excelente Nei cantar, autografar e contar suas histórias impagáveis.

Quem: Nei Lopes lança “Mandingas da mulata velha na cidade nova"
Quando: 11/12
Onde: Bar Samba - Rua Fidalga, 308

domingo, 6 de dezembro de 2009

Agenda de Dezembro


Boa noite,

Esqueçam a neve,os suéters da vovó ou mesmo a rena de nariz vermelho. No Brasil quando vai chegando esta época mostra que o carnaval está próximo e é tempo de praia e verão.

O mês de dezembro fica curto para o samba devido as festividades. Mas até o dia 21/12 teremos alguns sambas para conferir por aí.

A agenda do mês traz alguns destaques como os show do veterano e popular Jorge Ben, os eventuais shows do Quinteto, o já comentado show do Zeca no próximo fim de semana, Almir Guineto no interessante CCJ Ruth Cardoso e por fim os ensaios de escola de samba que esquentam pela cidade.

Ainda pode ser conferido o show da sempre especial Elza Soares e do genial bandolinista Hamilton de Hollanda, que é imperdível para quem nunca viu.

Bom, opções existem e o samba continua até o dia clarear.

Bom samba!
Boa tarde,

Mais dois vídeos do show do Quinteto!

Quinteto cantando "Vem Amenizar"


Quinteto cantando "Mar Serenou" e "Seleçao de Partido"

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Mais do que uma arte - O dia do samba.


Nesta semana falei um pouco sobre o livro Heranças do samba, e é com ele que mais uma vez comemoro o dia do samba com todos. Um texto poético e que conta um pouco do que é sentir o samba.

Bom dia do samba a todos.

Em tempo: hoje tem Paulo Vanzolini no Bar do Alemão e João Borba no Bar Samba.

Mais do que uma arte

"'Flores em vida para Nei Lopes
Em memória de Anescarzinho do Salgueiro'

Falo do samba. Que outra forma de expressão é mais completa? O samba dialoga com a divindade, abraça o solo, envolve-se com águas, é verde antes da moda, vermelho antes da decepção, azul porque anteblue, amarelo porque dissidente, branco porque reunião, e negro porque um negro é um negro, é um negro, é um negro, negronoite, e a noite é a mãe de todos nós.

O capital não tem pátria. O samba tem: a alma, onde quer que ela esteja. Há os que se julgam remadores em direção ao futuro. Não sabem que o samba lhes esculpiu o barco. O fazer samba implica sempre ato de magia: é voltar. E como a essa esplêndida viagem se opõem o tempo e a ciência, o samba, encrenqueiro, volta para o futuro, numa reconquista do paraíso perdido, na qual temos que tomar conta de nossos ancestrais-bebês, sabendo que, em outro futuro próximo, as gerações vindouras chegarão para nos alimentar. Esse é o paradoxal ciclo aberto do samba. Porque o samba, mais que feitio de oração, nos ajuda a atravessar o vale da morte e das lágrimas, a lama da impunidade, o limbo das esperanças perdidas. O samba preside o nascimento e celebra o gurufim dos seres. Em linguagem cósmica, o samba estava na primeira explosão e estará no último gemido. Em todos os recantos onde nos expandimos ou onde nos confrangemos existe samba.

Heranças não pretende só recosturar tramas em direção as raízes, mas principalmente fazer com que as copas floridas se misturem e confraternizem, gerando a fecundação simultânea de idéias e ideais, cujas palavras alegre de desordem e de vento sejam: não confinar, não murar, não cercear. Que os vampiros enfiem as estacas vã-guardadeiras no solo crestado de suas próprias igrejinhas.

Muito se falou sobre liberdade de expressão, sobre a ação de patrulhas ideológicas e, no entanto, não apareceram os textos que deveriam denunciar os guetos-quilombos que se criaram devido ao isolamento, à sistemática descaracterização de nossa cultura, a violências de toda ordem, até que, exauridos, fomos entregues de bandeja a manifestações pretensamente modernas que visavam ao lucro selvagem, que fomentavam as falsas crises da nossa imbatível criatividade, religiosa, erótica, social, maior que uma arte. Alguns ingênuos foram cooptados, a preço de banana, por esse imediatismos de miçangas-pop, desmembrados no caos de uma oficina de desmonte que colhia talentos como se fossem peças de segunda mão. O que esses adoradores do presente ignoram é que samba cresce com a cachoeira e o monturo, o córrego e a vala, na cidade e no campo, na paz e na guerra.

Por quantas estradas e vielas passem as caravanas congratulatórias e o seus patrocinadores, o sambamaqui, como um cão, estará emboscado com criatividade de fato e de direito.

Fazer justiça ao camelo não significa limar o dromedário do circo. Macacas de auditório, sejam bem-vindas, mas não paguem mico!"

Aldir Blanc – Livro Heranças do Samba (Aldir Blanc, Hugo Sukman e Luiz Fernando Vianna)

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Prestação de Contas - Quinteto em Branco e Preto



A idade não importa, a cor da tua pele não me interessa
Se tem perna torta se tem perna certa
Basta saber se tem samba na veia


Boa noite,

A chuva "molha peão"do últimos fins de tarde, na verdade lavava a cidade de São Paulo. Era quinta-feira, dia 26/11. Mais uma vez o grupo Quinteto em Branco e Preto se apresentaria no Bar Você Vai Se Quiser, que também possui apelidos como Samba da Roosevelt, Bar da Graça, Samba do Centro, etc.

Ao adentrar deparei com velhos conhecidos do samba, como o excelente cantor Tito Amorim, Nananã da Mangueira orgulhosa com a presidência assumida pelo filho Ivo Meireles na Estação Primeira de Mangueira, Liette de Souza (compositora e mulher do mestre Roberto Ribeiro), entre outras figuras.


Novamente o Quinteto demonstrava a habitual tranquilidade dividindo idéias e cumprimentando o púbico presente. Eis que o tal do som resolve pifar, e o clima começa a ficar tenso no local. Os espectadores se perguntando o que teria acontecido para o show estar atrasado e o pessoal tão tenso.

Sem muito alarde, o samba segue em frente, e na base de muita boa vontade e mágicas da produção, um novo "som" é instalado no bar para o excelente grupo que iria tocar.

A homenagem era mais do que nobre, a reverência deste novo encontro desta vez fora Candeia, que já falei algumas vezes no blog e que muitos já conhecem.

Quinteto mais uma vez demonstrou sua excelente capacidade de interpretação e de levantar o público presente. Com muito samba de partido alto, e uma grande homenagem ao dia da consciência negra, muito defendida pelo pioneiro do movimento negro no Brasil, o homenageado Candeia.

Muito poderia me alongar aqui, mas termino com uma frase que devemos lembrar sempre do mestre Candeia. A situação do país em relação ao preconceito melhorou muito, mas a estima de qualquer pessoa é sempre importante.

"Negro acorda é hora de acordar
Não negue a raça
Torne toda manhã dia de graça"


Fiz alguns vídeos para quem quiser conferir:

Gamação


Dia de Graça


Filosofia do Samba

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Zeca Pagodinho em São Paulo


Zeca Pagodinho lança seu novo CD em São Paulo no dia 11 e 12/12 no HSBC Brasil.

Boa noite,

É amigos, ele vem aí.

Zeca Pagodinho é um dos grandes transformadores do samba contemporâneo. Ele consegue conciliar ao mesmo tempo, o antigo e o novo do samba, popularizando e comercializando-o em todos os níveis sociais e esferas. Há muitas pessoas que torcem o nariz para o sambista, por rotular seu samba apenas como pagode, como se fosse um estilo menor do samba. Acho que todos temos direito a gostar ou não de algo, mas um bom sambistas querer criticar o repertório e composições de Zeca Pagodinho é quase dar um tiro no próprio pé.

Vou me explicar melhor. Muitas pessoas gostam de Cartola, Noel Rosa, Monarco, etc, pois dizem que eles são compositores de samba de raiz, como se samba de raiz tivesse que ser antigo para ser de raiz. E o pior, como se um sambista escolhesse qual tipo de samba fará para o resto da vida. É claro que estes artistas possuem um estilo próprio, mas muitos sambistas vão do partido-alto ao samba canção, do jongo ao sincopado. Pois o rótulo é dado pelo crítico e não pela inspiração de momento do cantor.

Há quem critique o estilo de samba de Zeca, Fundo de Quintal e outros mestres, pela felicidade e partido alto que imprimem às músicas e estas canções acabam “proibidas” de círculos pseudo intelectuais, pois o velho samba já é reconhecido e é mais fácil cultuá-lo. Pois bem, uma das música que projetou o Zeca Pagodinho foi “Coração em desalinho”, que foi composta pelo sambista de raiz e mestre da Portela, Monarco. “Minha” é outra música que foi interpretada pelo cantor e fez grande sucesso, e pertence ao compositor Cartola. São muitas as composições em que Zeca readapta o samba ao seu estilo e canta antigos compositores do samba.

A questão é que Zeca é um ser orgânico, assim como o samba, e nas suas andanças pelo Rio de Janeiro, de sua procedência em Xerém, ele convive com muitos que poderão ser novos Cartolas, Noel, entre outros, mas com as características do samba atual. Por isto também grava a “nova” geração do samba, para nomear alguns nomes típicos nos CDs do Zeca: Luiz Carlos da Vila, Serginho Meriti, Mauro Diniz, etc. Cabe lembrar que Cartola, Noel, Candeia, entre outros sambistas, morreram sem a fama e o merecimento que têm hoje.

E como o samba é uma corrente, o elo continua se formando sob a batuta de um dos maiores intérpretes do Brasil, e não só de samba que é o Zeca. Aos que criticam o “jabá”, regravações exageradas e utilização da imagem do cara, também concordo, mas vivemos em um mundo capitalista e o artista muitas vezes não pode, ou não quer, se privar de ganhar bem e fazer sucesso. Como diria Tom Jobim, os críticos brasileiros sofrem da fracassomania. Como se fosse bom somente o que poucos escutam e conhecem, ou o que vem de fora do país.

O sambista é a abertura para diversos novos compositores de conseguirem uma projeção nacional, que o diga Paquera do Samba da Vela que já teve uma composição do artista, que o diga “Trio Calafrio” com a gravação de “Dona Esponja”, que diga Luiz Carlos da Vila, um dos grandes sambista contemporâneos e que vem sendo imortalizado em composições como Cabô Meu Pai e Então Leva, uma em parceria com Moacyr Luz e outra com Bira da Vila. O samba de Zeca é democrático, vem do intelectual Chico Buarque, que ele regravou com a noelesca “Rita”, ao popular “Samba para as moças” (Incandeia) do baiano Roque Ferreira.

Aos que quiserem se inteirar um pouco mais sobre a continuidade dos sambas e suas correntes, indico o excelente livro “Heranças do Samba” que conta um pouco das correntes do samba e como elas continuam sendo continuada por anônimos que trabalham como formiguinhas para manter a chama do samba acesa. O livro foi redigido por Aldir Blanc, Luiz Fernando Viana e Hugo Sukman.

Uma Prova de Amor ao Vivo MTV

Sobre o novo CD do Zeca, é mais um “caça níquel” da MTV com excelente qualidade. CD gravado em julho deste ano, no Citibank Hall, no Rio de Janeiro, e faz referência ao show do álbum anterior: Uma Prova de Amor. O disco, que corre estrada há um ano, segundo Zeca, é uma prova de amor às mulheres, ao samba e à religião. Revelando talentos escondidos pelas esquinas, botequins, vielas de favelas como Toninho Geraes, Alamir, Zé Roberto, Maurição, Serginho Meriti, Bira da Vila, entre outros. Excelente presente de natal e para amigos secretos de fim de ano.

Outros links úteis:
http://guia.folha.com.br/shows/ult10052u469164.shtml
http://www.zecapagodinho.com.br/artigo-blog/um-prova-de-amor-ao-vivo-ja-nas-lojas
http://www.ticketmaster.com.br/shwReleaseDetail.cfm?releaseID=2529&gclid=CJfL5Kzwsp4CFUsf7godEE7MkA


Quem: Zeca Pagodinho
Quando: 11 e 12/12
Onde: HSBC Brasil
Quanto: de R$ 70 a 160 (inteira)





sábado, 28 de novembro de 2009

Pedro Miranda lança CD em São Paulo


Pandeirista de primeira, excelente cantor, engraçado e outros atributos podem ser concedidos a Pedro Miranda que vem se enveredando cada vez mais para trabalhos solos e mostrando muito talento.

Pertencente à nova geração de sambistas da Lapa, Pedro Miranda lança seu segundo álbum solo. Intitulado de “Pimenteira” o CD traz composições de Nelson Cavaquinho, Elton Medeiros, Nei Lopes, Edu Krieger e Moyseis Marques, entre outros compositores. O disco anterior “Coisa com coisa” foi gravado em 2006 e também conta com excelente repertório e produção.

O cantor há anos toca e canta no Grupo Semente, conhecido por acompanhar Teresa Cristina. Também faz parte do Samba de Fato ao lado de Cristina Buarque, inclusive se apresentam sábado e domingo no Teatro Fecap. Fundou e fez parte por mais de dez anos do Cordão do Boitatá, que arrasta multidões nos carnavais cariocas.

Neste show, Pedrinho (voz e pandeiro) conta com a participação especial da cantora Verônica Ferriani e um grupo de excelentes músicos.

Caso não conheça, acesse o myspace do cantor e confira algumas músicas www.myspace.com/pedrinhomiranda. Vale a pena conhecer este excelente sambista.

Quem: Pedro Miranda
Quando: 30/11
Horário: 21h
Onde: Funarte São Paulo – Al. Nothman, 1058 - Metrô Marechal Deodoro
Quanto: R$ 10,00

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Carlão do Peruche e Velha Guarda no Anhanguera Dá Samba‏


Boa noite

Sim eu já dei algumas dicas da semana, mas para nossa sorte veio mais por aí!

Sexta-feira, fim de mês, o dinheiro escasso na conta e como sempre temos mais uma opção barata para se divertir, ouvir um bom samba e gastar pouco.

Em período que precede o carnaval, vale a pena entender um pouco melhor desta festa que se desvirtuou um pouco, mas que num passado recente conciliava o samba e espetáculo, hoje sendo muito mais espetáculo, mas ótimo por promover a economia do país e das regiões onde acontecem.

E para conhecer melhor uma das mais tradicionais escolas de samba de São Paulo vale a pena ir na roda que acontece toda última sexta feita do mês no Clube Anhangüera . A roda conhecida como Anhanguera dá samba! terá o Inimigos do Batente recebendo e fazendo uma grande homenagem a um histórico sambista paulistano, Carlão do Peruche, que levará consigo nada menos que a Velha Guarda da Unidos do Peruche. A festa homenageará também a memória da grande cantora Denise Camargo, falecida no início deste ano.

Seu Carlão, é uma das figuras mais conhecidas e respeitadas da história do samba paulistano, e foi fundador em 1956, ao lado de João Cândido, da gloriosa Unidos do Parque Peruche. Partideiro de primeira, conhecedor e contador de histórias como poucos, vai mostrar para quem quiser ver seu domínio sobre os fundamentos do samba E para isto nada melhor que a presença da VG para dar ainda mais força e brilho a este canto.

Quem: Velha Guarda da Unidos do Peruche e Carlão do Peruche
Onde: Clube Anhangüera: Rua dos Italianos, nº 1.261
Quando: 27/11
Horário: 22h30
Quanto: R$ 10,00

Os ensaios da escola acontecem todo domingo às 19h, na seda da Escola. Av. Ordem e Progresso, 1061 (acesso pela Ponte do Limão)

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Candeia - Jornal da Record

Reportagem sobre Candeia, compositor homenageado pelo Quinteto nesta quinta-feira!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Samba pela semana - Vai-vai, Traço de União, Candeia e Quinteto em Branco e Preto


Boa noite,

Depois de um merecido período de descanso do feriado, estou de volta ao samba e as notícias do mesmo.

E como o samba não pode parar, vamos às novidades e sambas pela semana e olha que não são poucas.

O destaque da semana, no meu ponto de vista, é o show do Quinteto em Branco e Preto em homenagem a Candeia que acontecerá na quinta-feira no Você Vai Se Quiser. Isto porque estamos falando de um dos melhores grupos de samba da cidade homenageando o maior dos partideiros do samba, que vem sendo redescoberto por diversos artistas e é um compositor com grande projeção depois de ficar um bom tempo esquecido.

Candeia mereceu há tempos atrás um post a parte neste blog, devido ao seu significado ao samba e do quanto sou fã das composições desta personalidade. Você pode saber um pouco mais sobre o artista clicando no link a seguir http://sambacidade.blogspot.com/2009/03/mestre-candeia.html. Vale a pena conhecer as composições do mestre.

No embalo do carnaval que se aproxima outra boa pedida é a Festa das Passistas do Vai-Vai que acontecerá na sexta-feira no Grêmio da Escola. A Ala das Passistas do Vai-Vai tem 40 componentes e é uma das alas mais tradicional do Carnaval Paulista. Além das Passistas, o show contará com a Bateria Nota 10 e DJ.



A escola do Bixiga que já foi 13 vezes campeã do carnaval paulistano, tem como enredo de 2010 "80 Anos de Arte e Euforia, “É Bom no Samba, É Bom no Couro” Salve o Duplo Jubileu de Carvalho", contando a história dos 80 anos de Copas do Mundo e também comemorando os 80 anos de sua fundação. Você pode conferir mais curiosidades sobre a escola acessando o link: http://www.youtube.com/watch?v=QYklt4GTQJg

No terceiro destaque da semana contamos com uma grande festa recheada de artistas e nomes do samba. O Traço de União comemora 6 anos e traz Almir Guineto, Velha Guarda da Camisa Verde e Branco, Noca da Portela, Luizinho SP e outros convidados. A festa já é tradicional no samba de São Paulo e tem o preço um pouco salgado, mas para quem gosta de bebericar é uma opção interessante, pois é open bar.

A festa acontecerá na sexta-feira e a compra antecipada é mais que necessária, pois a casa já lota normalmente e ainda contará com os convidados acima mencionados para aumentar ainda mais a procura pela casa. Você também pode conferir o post sobre o Almir no link http://sambacidade.blogspot.com/2009/01/almir-guineto-fundamental.html

Bom, o samba está aí para quem quiser curtir. Ainda estou aguardando notícia sobre o Anhanguera Dá Samba que também acontece tradicionalmente às últimas sextas-feiras do mês, tornando o dia ainda mais agradável e concorrido. E por fim temos o show da Maria Rita e Dudu Nobre. Façam suas apostas e bom samba a todos nós.

Resumindo:

Quinta-feira

Quinteto em Branco e Preto Homenageia Candeia
Quando: 26/11
Quanto: R$ 15
Onde: Você Vai Se Quiser - Rua João Guimarães Rosa, 241
Horário: 20h30

Sexta-feira

Passistas do Vai-Vai e Bateria Nota 10!
Quando: 27/11
Quanto: R$ 10 antecipados
Onde: VAI-VAI - Rua São Vicente, 276 (Praça 14 Bis)
Horário: 20h30

Festa aniversário de 6 anos do Traço de União
Quando: 27/11
Quanto: R$ 80 M e R$ 100 H
Onde: Traço de União - Rua Cláudio Soares, 73
Horário: 23h

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Roberta Sá véspera do feriado


Boa noite,

Nesta quinta-feira a cidade de São Paulo receberá uma das mais promissoras cantoras do Brasil. Em um estilo que, para muitos, lembra muito Marisa Monte a cantora vem se destacando pela qualidade de execução e repertório.

Roberta Sá nasceu em Natal e aos 9 anos mudou-se para o Rio de Janeiro onde se criou e ganhou projeção. Com 18 anos foi morar nos EUA onde começou a cantar, ao voltar ao Brasil começou a investir na carreira, culminando numa curiosidade: em 2002 Roberta acabou entrando no programa de televisão Fama. E a jovem que foi eliminada na quarta semana.

Felizmente a cantora acabou se projetando e gravou sob encomenda de uma empresa um álbum promocional intitulado "Sambas e Bossas". Entre as gravações alguns clássicos como "A Flor e o Espinho", "Essa Moça tá Diferente" e "Chega de Saudade". Excelente disco com clássicos de sambas e bossas, por mais óbvio que seja.

Em 2005 Roberta Sá lança seu primeiro álbum, chamado "Braseiro". No álbum que nao e exatamente de samba há canções de compositores consagrados como Chico Buarque (Pelas Tabelas) e Paulinho da Viola (Valsa da Solidão), e de novos talentos como Marcelo Camelo (Casa Pré-Fabricada), Lula Queiroga (Ah! Se Eu Vou) e Pedro Luís (Braseiro). O trabalho conta ainda com a participações de Ney Matogrosso e MPB-4. Outro excelente disco. Vale a pena conferir.

O ultimo trabalho da cantora e seu segundo álbum, intitulado "Que Belo Estranho Dia Para se Ter Alegria" ganhou dois prêmio da APCA melhor cantora e melhor álbum. E podera ser conferido no show em SP.

Quem: Roberta Sa
Quando: 19/11
Quanto: de R$ 50 a R$ 100 (inteira)
Onde: Citibank Hall

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Viver



Viver
Composição: Candeia

lá lá ia lá ia
lá lá ia lá ia lá

Eu digo e até posso afirmar
Vive melhor quem samba

Vou pela rua cantando
e o clarão da lua vem ornamentar
Sim,vou levando alegria
Pra dona Tristeza alegre ficar
Abra a janela do peito
e deixe meu samba passar
Samba não tem preconceito
e já vai se libertar

A liberdade dos prantos
e dos desencantos que a vida nos deu
A liberdade que canto é amor,é esperança
Pra quem já sofreu
Cada qual que olhar para trás
verá que sempre há uma razão de viver
Quem guerreia pela paz,
A verdadeira paz nunca há de ter.

Cantem todos como eu faço
Perdoem os fracassos
A vida é tão curta
Enquanto se iluda, se samba também
Noite fria enluarada,
Fim de madrugada
Feliz vou cantando,
Cantando alegria que o samba contém.

lá lá ia lá ia
lá lá ia lá ai lá

Eu digo e até posso afirmar
Vive melhor quem samba

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Terreiro Grande Sábado


Boa tarde,

Neste sábado o clima vai esquentar lá para o lado da Zona Leste.

Isto porque o samba que aconteceria com o Terreiro Grande no final do mês passado, foi cancelado devido a uma fatalidade.

Mas neste sábado, o Bar Patriota que fica ali perto da Praça Silvio Romero receberá os sambistas que representam bem o samba de SP. Saiba mais sobre o terreiro acessando este antigo post: http://sambacidade.blogspot.com/2009/09/terreiro-grande.html

Conheça o site do bar e o grupo:

Bar Patriota
http://baropatriota.blogspot.com/

Grupo Terreiro Grande
http://terreiro-grande.blogspot.com/

Quem: Terreiro Grande
Quando: 14/11
Onde: Bar Patriota - Rua Jarinú, 591 - Tatuapé
Horário: 16h

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Personagem da Semana - Nelson Sargento


Boa noite,

Nelson Mattos, nasceu no Rio de Janeiro no dia 25 de julho de 1924. Há mais de 85 anos!

Sua mãe Rosa Maria era empregada doméstica e cozinheira. Trabalhava e morava com Nelson na Tijuca. Nelson conviveu pouco com o pai que era cozinheiro, pois ele não morava com sua mãe. Seu pai morreu de gangrena, depois de um acidente na cozinha de um restaurante; uma panela de água quente caiu em seu pé e, não sendo tratado, acabou morrendo.

Quando ainda era menino foi morar no morro do Salgueiro, em um barraco alugado. Foi no morro do Salgueiro que o futuro compositor, então com dez anos de idade, tomou conhecimento do samba, desfilando e tocando tamborim. Ali ainda haviam duas escolas de samba: a "Unidos do Salgueiro" e a "Depois eu Digo". José Casemiro, (conhecido como Calça Larga), uma liderança no morro, uniu todas elas, nascendo assim a imortal “Acadêmicos do Salgueiro.”

Mas como esta história tão ligada ao Salgueiro foi parar na Mangueira que representa o nosso personagem?

Sua mãe teve muitas dificuldades para se manter com o filho no Morro do Salgueiro. Alfredo Português, importante compositor do GRES Estação Primeira de Mangueira, que era amigo do padrasto de Nelson convidou-os para morarem com ele em sua casa na Mangueira. Alfredo Português era empreiteiro da construção civil e um excelente letrista. Era uma figura diferente naquele universo dos morros do RJ, um português que compunha sambas.

Foi daí para frente que Nelson despontou para a música, quando Alfredo Português, que se tornou seu padrasto, descobriu o talento que surgia no jovem. Compuseram juntos (e também Jamelão), em 1955, o clássico samba-enredo "Primavera", também chamado de As quatro estações do ano, considerado um dos mais belos de todos os tempos.

Além disto, desde jovem, ajudava o Alfredo, nas obras, pintando as paredes das casas. Durante o intervalo dos trabalhos, aproveitou o que estava ao seu alcance: madeira, tinta, lixa, massa e pincel. E com isto começou também a fazer pinturas. Naquela época, ele trabalhava perto da casa de Sérgio Cabral, que o estimulou nessa atividade. Quando fez uma mostra durante o aniversário do crítico musical e conseguiu vender tudo. O primeiro a comprar um quadro foi ninguém menos que Paulinho da Viola.

Nelson integrou o conjunto A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho. Entre seus parceiros de composição musical, estão Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino e Pedro Amorim. Neste momento já era Nelson Sargento, apelido fruto da patente mais alta que atingiu quando trabalhava no Exército Brasileiro.

Além de cantor, compositor e pintor, Nelson também se tornou escritor e ator. Escreveu os livros "Prisioneiro do Mundo" e "Um certo Geraldo Pereira". Atuou nos filmes "O Primeiro Dia", de Walter Salles e Daniela Thomas, "Orfeu" de Cacá Diegues, e "Nélson Sargento da Mangueira" de Estêvão Pantoja, que lhe valeu a premiação do Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora entre os filmes de curta metragem.

Atualmente vive em Copacabana, casado com Evonete Belizario Mattos - empresária e produtora - criou onze filhos e vários netos e bisnetos. O compositor mangueirense possui, aproximadamente, quatrocentas músicas em seu repertório. E se apresenta nesta sexta-feira no Traço de União em uma noite de gala no samba paulistano.

Compositor, cantor, pesquisador da música popular brasileira, artista plástico, ator e escritor brasileiro. Este é um pouco do mestre de 85 anos que veremos nesta sexta-feira em São Paulo. Imperdível!

Quem: Nelson Sargento
Quando: 13/11 – 22h
Onde: Traço de União
Quanto: R$ 30 H e R$ 20 M

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Pretação de Serviço ao Samba

Boa noite,

O Samba da Vela continua firme e forte, mas agora em lugar novo. Motivo: o Centro Cultural Santo Amaro entrará em reforma. Mas o samba não pode parar e tem lugar novo aí a partir do dia 09/11 - hoje.

Novo local: Espaço Paidéia Associação Cultural
Rua Darwin, 153, Alto da Boa Vista

Clique e veja o comunicado oficial:

domingo, 8 de novembro de 2009

Agenda de Novembro


Estalem os tamborins, chorem as cuícas que o carnaval chegou.

Agora podemos começar a escolher os melhores sambas enredos e começar a visitar os barracões, ou ruas, com baterias estalando o ritmo acelerado dos sambas enredos atuais.

No quadro ao lado direito, abaixo da agenda do mês, colocarei onde estão acontecendo os ensaios, local e horários. Comecei com quatro das escolas que conheço e que tem realmente excelentes esquentas pré carnaval: Camisa Verde e Branco, Mocidade Alegre, Rosas de Ouro e Vai Vai.

Com isto, naturalmente os shows vão diminuindo de ritmo, mas continuam a acontecer na metrópole. Destaco o show do Quinteto em Branco e Preto, que domina o post abaixo, e que transformará a visita ao Você Vai Se Quiser em mais uma tradicional e especial noite de samba. Sendo que no dia 26/11 se apresenta homenageando um dos maiores partideiros do samba, Candeia!

Além disto, neste final de semana está acontecendo o Boteco Bohemia, que tem marca de cerveja e com isto vem se apropriando da imagem ligada ao samba de qualidade. Apresentando excelente artistas com destaque para Paulinho da Viola, Maria Rita, Casuarina e Banda Mantiqueira com Fabiana Cozza. Vale a pena para estar com estes pesos do samba.

Quem dá as caras em São Paulo é Diogo Nogueira, vencedor do samba enredo 2010 da Portela, o cantor se apresenta em dois lugares no mesmo dia: Cabral e Carioca Club. Vale a pena pelo excelente cantor, apesar de serem dois lugares que não conheço muito.

Para finalizar os destaques, ainda temos a excelente cantora Roberta Sá, que infelizmente se apresenta por um só dia e pertinho do feriado. Dia 19/11. E também temos Sombrinha que vem se apresentando toda sexta-feira no Traço de União.

É isto aí moçada, hora de fazer os passinhos de mestre sala e começar a cair na avenida.

Bom samba a todos!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Quinteto homenageia Luiz Carlos da Vila



Boa noite,

Um pouco atrasado, mas ainda em tempo gostaria de explicitar a noite do dia 29/10/2009.

Chovia muito em SP e o trânsito caótico aglomerava os carros por entre as ruas e avenidas estéreis de esperança. Muitas buzinas e uma enorme dificuldade de se locomover à região central da cidade, ali perto do Arouche, mais precisamente ao lado da Praça Roosevelt.

Nada poderia me impedir de chegar à uma combinação incrível que estava para acontecer: o excelente grupo paulistano Quinteto em Branco e Preto, meu segundo lar do samba “Você Vai Se Quiser” e o repertório do recém finado Luiz Carlos da Vila.

Quinteto é um dos grandes grupos da atualidade do samba. Integram o grupo os irmãos Yvison (Casca), Everson e Vitor Pessoa , de São Mateus, Zona Leste de São Paulo e Magnu Souzá e Maurílio de Oliveira, de Santo Amaro, Zona Sul. Em mais de dez anos de carreira o grupo já acompanhou artistas como: Beth Carvalho, Luiz Carlos da Vila, João Nogueira e Elton Medeiros, entre outros. Além de acompanharem grandes artistas, são compositores e já gravaram três CDs.

Ao adentrar no festejado recinto, o clima era intimista e de muita alegria. O show não fora amplamente divulgado, portanto o boca-a-boca dos amantes dos sambas levaram ao local verdadeiros admiradores do ritmo, o que evitou turistas mais interessados na festa ou na balada. Nada contra o samba virar balada, e ser comercial. Acho ótimo e prefiro que aconteça isto com música brasileira do que com ritmos internacionais. Apenas estou relatando o que vivenciei.

A casa estava arrumadinha, todo mundo muito educado e já se via sob o palco os cinco banquinhos direcionados ao grupo. O próprio grupo se misturava à platéia, numa demonstração clara de humildade e senso de realidade. Mesmo que o grupo não seja tão famoso nacionalmente, ainda sim sabe que é um dos principais e melhores grupos de samba do Brasil. Devido aos intérpretes que os convidam, as críticas que recebem e ao conhecimento técnico que têm sobre o assunto.

Aproveito para fazer uma digressão sobre este tema, pois ser sambista tem algumas vantagens, e uma delas é poder conhecer o seu ídolo. Eles moram no nosso país e geralmente são extremamente acessíveis. Fico imaginando alguém muito fã do Bono Vox, que se esforça para conseguir ver um show a cada 10 anos, ver o show de longe e nunca ter contato com o ídolo. Mas novamente, nenhuma crítica, pois sou fã de artistas como Beatles (logo Paul MacCartney) e sei que é a realidade de cada estilo de música.

Voltando: na platéia também se encontravam figuras como Nananã da Mangueira, Toninho Geraes, Murilão Boca do Mato, Irmãs Pereira, entre outras figuras do samba. Tudo para prestigiar a homenagem a Luiz Carlos da Vila, que morreu há um ano e compôs sucessos como “O show tem que continuar”, “Além da Razão”, etc. E principalmente por ser um artista muito querido no samba.

A verdade é que o partido alto começou a rolar exatamente às 21h e levou todo mundo ao êxtase. Devido à capacidade de execução do grupo e do clima que tomava toda a casa. Uma noite mais que especial no coração de São Paulo, mostrando que a cidade é muito mais do que garoa e está longe de ser o túmulo do samba.

No repertório as canções de LC da Vila se misturaram a composições de Candeia, Paulinho da Viola, Dona Ivone Lara e do próprio Quinteto. Levando toda a galera a cantar junto neste momento epifânicos da vida.

Quinteto com repertório de Luiz Carlos da Vila é destas coisas reconfortantes da vida. Samba de primeira qualidade, com gente de primeira qualidade. Vida longa ao Quinteto!

Seguem imagens do show:





sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Feriado Animado


Boa noite,

Este feriado o samba promete hein? Depois de um show maravilhoso do Quinteto em Branco e Preto ontem no Você Vai Se Quiser o fim do mês ainda reserva gratas apresentações:

Como toda última sexta-feira do mês, o Clube Anhangüera e os Inimigos do Batente promovem mais uma vez na roda Anhangüera dá samba!, que vêm recebendo mensalmente compositores e nomes do samba brasileiro.

Neste mês o convidado especial é o cantor e compositor Toninho Geraes. O mineiro, radicado no Rio de Janeiro, já tem mais de 200 músicas gravadas, entre grandes sucessos como “Mulheres", "Pago pra ver", "Seu Balancê", entre outros. O cantor se apresenta sempre no RJ e faz um visita especial para o Projeto, além de estar ontem no show do Quintato. Sambista que é, costuma botar fogo nas rodas de samba em que participa.

Para o sábado acontecerá um grande show. Na Zona Norte da cidade, grupo Samba da Vela convida Monarco da Portela e o seu filho Mauro Diniz para uma grande roda de samba que só findará quando a chama da vela se apagar. Monarco e Mauro Diniz são dois dos grande compositores da atualidade, sendo que o mestre Monarco é um dos integrantes da Velha Guarda da Portela.

Recapitulando:

Sexta-feira
Quem: Toninho Geraes e Inimigos do Batente
Onde: Clube Anhangüera: Rua dos Italianos, nº 1.261
Quanto: R$ 10,00
Horário: 23h

Sábado
Quem: Samba da Vela convida Monarco e Mauro Diniz
Onde: Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso - Av. Deputado Emílio Carlos, 3641
Quanto: gratuito
Horário: 18h

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Quarta animada


Boa noite,

Nesta semana temos gratas surpresas para ouvir um bom samba.

Na quarta-feira acontecerão dois shows bacanas. O primeiro será conduzido pela cativante Dona Inah numa homenagem a Ataulfo Alves no Bar do Alemão, que completou recentemente 41 anos. O show homenageia o centenário do compositor e acontece nesta casa que é dirigida por um dos maiores compositores do samba paulistano: Eduardo Gudin.

O segundo show acontece no Sesc Pompéia. Tio Samba, uma banda carioca, se apresenta em SP apresentando pérolas do samba, de autores como Ary Barroso, Noel Rosa, Geraldo Pereira, Assis Valente, Cartola, Chico Buarque, Baden Powell, Tom Jobim e outros compositores brasileiros.

Dona Inah
Quando: 28/10
Onde: Bar do Alemão – Av. Antártica, 554
Quanto: R$ 25,00
Horário: 21h

Tio Samba
Quando: 28/10
Onde: Choperia do SESC Pompéia - Rua Clélia, 93
Quanto: R$16,00 (inteira)
Horário: 21h

sábado, 24 de outubro de 2009

Olho no Lance! Quinteto em Branco e Preto!


É amigos,

Este mês tá de arrebentar. E não é que no final do mês o Quinteto nos traz uma das melhores opções de samba para São Paulo?

Isto porque no dia 29/10 acontece no Você Vai se Quiser uma grande e justa homenagem a Luiz Carlos da Vida. Luiz morreu no ano passado e é um dos grandes compositores contemporâneos. Uma doce figura que compôs clássicos como "O show tem que continuar", "Prá conquistar seu coração", entre tantos sucessos.

E por esta razão que um dos melhores grupo de samba da cidade se apresenta na casa que fica ali no Centro, próxima da praça Roosevelt. Vale lembrar que a casa também é administrada - além de outros - por Paquera, um representante do Samba da Vela, que tem forte e diretaligação com o Quinteto. A casa costumeiramente não abre as quintas, portanto quem sabe uma nova opção?

Quinteto já tocou com artistas como Beth Carvalho, Paulinho da Viola, Teresa Cristina, Elton Medeiros, entre tantos outros que os reconhecem como uma grande força do nosso samba atual.

Salve Luiz Carlos da Vila, salve Quinteto e salve o Você Vai se Quiser!

Mais do que imperdível!

Quem: Quinteto em Branco e Preto
Onde: Você Vai se Quiser
Quando:29/10

Luiz Carlos da Vila




Quinteto em Branco e Preto

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Prestação de contas - Paulinho da Viola


Não tem serra que derrube,
não tem guerra que desmate
ele pesa sobre a pele
mais que a lei de gravidade


Paulinho da Viola se apresentou em São Paulo de mansinho, sem alarde, mas de uma hora para outra todos os interessados sabiam e sua presença era aguardada em São Paulo.

Senhor de poucos shows, o cantor é destes que pela sua profundidade e importância, mesmo em doses homeopáticas, pode mudar seus sentidos e te surpreender. Foi assim que me senti ao ouvir ele cantar músicas como "Foi demais", "Sei lá Mangueira" e muitas outras, talvez todas.

É como se tudo fosse novo e diferente, na voz e na sutileza que é a música, a pessoa e a poesia deste sambista. As histórias são graciosas, o tempo é outro, Paulinho e sua música são um ritmo só. E participar disto é uma experiência e tanto.

Chamado por muito de príncipe do samba, ele carrega esta monarquia que as tradições do samba estabelecem. Assim como a majestade Paulo da Portela ou, o também príncipe, Roberto Silva. Que foi lembrado pelo cantor quando gritaram o seu apelido no show.

Indico o filme/documentário "Meu tempo é hoje", onde se percebe claramente quem é este artesão da música. Que demora até 6 anos para compor um "simples" samba. Como contou na parceria "Ainda mais" com Eduardo Gudin.

O show terminou mas o efeito Paulinho ainda não. "Para um amor no Recife", "Recomeçar", "Depois da vida", são tantas músicas a descobrir e redescobrir neste universo fértil do compositor.

Salve o Príncipe do Samba!

Paulinho da Viola canta "Foi demais"

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sombrinha Sexta!


Boa noite,

A semana continua e o samba não pode parar.
Nesta sexta-feira o Traço de União abre as portas, em um dia que não é comum a casa abrir, mas que espero que seja uma constante, por ser mais uma boa opção de samba para o dia.

E o convidado para animar a noite não podia ser melhor. Eterno parceiro de Arlindo e membro do Fundo de Quintal, a casa recebe uns dos sambistas contemporâneo de maior expressão e sucessos cantados na boca do povo e dos grande intérpretes.

Para quem não conhece a casa, fica ali no Largo de Pinheiros, bem próximo a rua Teodoro Sampaio e Faria Lima. É uma casas de samba mais bem estruturada de SP e por isto também atrai muitos “turistas” mais interessados na balada que no samba, de qualquer forma vale a pena conhecer.

Sombrinha é parceiro em sambas conhecidos como: "Ainda é tempo de ser feliz", "Além da Razão", "Só pra Contrariar", "Não quero saber mais dela", "O show tem que continuar", "Fogo de saudade", "Saudades que não se desfaz", entre diversos outros sucessos.

Imperdível.

Quem: Sombrinha
Quando: Traço de União
Quanto: 30 H e 20 M
Horário: 0h

Vídeo do Sombrinha no mesmo Traço de União


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Prestação de contas - Fabiana Cozza e Pau d'Água


Bom dia,

Como de praxe, cá estou para fazer as vezes de crítico - ou exaltador - dos sambas frequentados.

Como anunciado o samba tinha muitas boas opções na semana, entre elas Paulinho da Viola e Fabiana Cozza que fui ver no sábado.

Vou começar pela banda e cantora que vi depois do show do Paulinho.

Lá fora a chuva dava indícios de sua volta, enquanto dentro do galpão da Vila Leopoldina acontecia o encontro de uma simpática banda das noites paulistanas. Composta por figuras típicas do samba paulistano, como Luizinho 7 cordas e João Borba, e outros fantástico músicos, a banda tem enchido o Ó do Borogodó aos domingos logo no início da noite.

O repertório da banda é fantástico e as interpretações fogem do lugar comum. Fazendo a introdução do shows muitas vezes na bem humorada "A Rã" de João Donato e Caetano Veloso, e se ampliando para artistas como Tom Zé, Luiz Gonzaga, Tom Jobim e Dorival Caymmi.

Para quem lê este repertório antigo, pode dar a impressão de músicas para ouvir sentado, de algo mais calmo. Mas a banda fez releituras prá lá de animadas, sempre se destacando muito em sua percussão e harmonia levando o corpo para balançar junto aos demais espectadores.

Da convidada não preciso nem falar, Fabiana Cozza, como costumeiramente, apareceu na roda para botar fogo no ambiente e encantar a todos. Ela que também se destacou no Ó do Borogodó, em plena madrugada paulistana, fez um lindo pout porri de Dona Ivone Lara e abusou de sambas de partido alto.

Para quem quiser saber mais sobre o trabalho dos dois e tirarem suas próprias conclusões, segue:

Banda Pau d'Água

http://www.myspace.com/bandapaudagua

Fabiana Cozza

http://www.fabianacozza.com.br/

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Olho no lance!


Boa noite,

Seguindo as dicas de meu amigo Zé Valois, segue um grande samba que acontecerá na cidade e que ainda não tá na boca do povo. Vamos tratar de repassar a informação e garantir nosso lugar, neste que promete ser um dos grandes sambas do mês.

Gratuitamente se exibirão no fim do mês duas "escolas" de samba, sendo uma do RJ e outra de SP.

Representando o RJ, ninguém mais, ninguém menos que o mestre Monarco e seu filho Mauro Diniz, figuras importantíssimas de Osvaldo Cruz, Portela e consequentemente cariocas.

Quem fez o convite para o maravilhoso encontro foi o pessoal do Samba da Vela que representa com muita força o samba de SP.

Quem: Samba da Vela, Monarco e Mauro Diniz
Onde: Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso - Zona Norte
Quando: Dia 31, 18h
Quanto: Grátis

Samba da Vela



Monarco



Mauro Diniz

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Show da semana - Fabiana Cozza e Pau d'água


Boa noite amigos,

Nesta semana tem um show imperdível.

Tá bom, tá bom. Eu sempre falo que os shows são imperdíveis. Mas neste caso é mesmo. Num clima descontraído, Fabiana Cozza é a convidada da banda Pau d'água para fazer um show e tanto.

A Pau d'água, para quem não conhece, é uma banda que se apresenta todo domingo no Ó do Borogodó e faz um som bem moderno de samba, xote, maracatu e até rock and roll. Calma amigos tradicionalistas do samba, a banda tem excelente repertório e principalmente músicos para fazer esta mistura.

http://www.myspace.com/bandapaudagua

E o melhor de tudo é que a banda estará acompanhada por ela, a divina, a musa, a principal interpréte do samba de SP - isto no meu modo de ver - Fabiana Cozza.

Simplesmente imperdível.

Quem: Fabiana Cozza e Pau d'água
Onde: Galpão Cabaré - Vila Leopoldina
Quando: H R$40 e M R$35 (s/ nome na lista - ver cartaz acima)
Quando: 17/10

Ele chegou!


Boa noite,

Apenas para noticiar que o dia está chegando e cada vez mais próximo.

Paulinho da Viola trará para a cidade o show Acústico MTV. Serão três noites imperdíveis cantando seus maiores sucessos para o público paulistano.

Dias 16, 17 de outubro às 22hs e dia 18 de outubro às 20hs no Citibank Hall.

Ainda há ingressos disponíveis, mas para poucos setores.

Não percam!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Boas Novas


Boa noite,

Começa nesta sexta- feira 9 de outubro, a partir das 21 horas os ensaios da Escola Rosas de Ouro.

Esta escola tradicionalíssima do samba paulistano é uma das que oferece melhor estrutura para os ensaios e muita animação. Apesar do grande “merchan” que será o enredo deste ano o samba da escola, vale a pena ir e se jogar no samba.

Ensaios Rumo ao Carnaval 2010:
Dias: Todas as sextas-feiras
Horário: a partir das 21 horas
Valor: R$ 10,00
Local: Quadra Social

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Agenda mês de outubro


Boa noite,

Começa mais um mês e o samba não pára, ou para, segundo a nova ortografia.

Ao lado direito da tela do seu computador estão alguns dos sambas já marcados, mas sabemos que muitas surpresas acontecem por aí e estamos atento para isto.

Neste mês temos boas opções para bailar e cantar, e mesmo se não tivesse ainda nos restaria o Paulinho da Viola, figura ilustre do samba que se apresenta por 3 dias na noite paulistana, simplesmente imperdível.

E como o samba não pode parar, logo no começo do mês é a vez de, quem não viu, ver o jovem e promissor Diogo Nogueira e ainda poder comemorar o aniversário do Cidão no domingo neste bar que falo no post aqui embaixo.

Me dei a liberdade de colocar alguns artistas que buscam muitas referências no samba, mas que não são exatamentes sambistas. Indico o show do novo CD do Arnaldo Antunes e do sempre sensacional Luiz Melodia.

Ao longo do mês ainda estão reservadas gratas surpresas como Danilo Caymmi, Maria Rita, Osvaldinho da Cuíca, Alcione, entre outros.

Vale ressaltar aqui também o belo show dos 40 anos de samba do paulistano Ideval com participação da Fabiana Cozza, Thobias da Vai Vai e Zelão e por fim o show das cariocas “As Chicas” que lançam CD no Sesc Pompéia.

Os ensaios também já estão rolando, as rodas se proliferam pela cidade e só não sacoleja quem não quer. Dicas de shows são bem vindas.

Bom samba a todos nós!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Bar do Cidão


Fica ali, pertinho do agito da Vila Madalena. Bar das antigas, de muitas histórias, com jeito e alma de boteco. Não destes que vemos por aí, que se vestem de boteco, mas que são assim barzinhos enrustidos e projetados para isto. Boteco de boutique.

Ele fica ali, com nome francês e apelido bem brasileiro, poucas mesas enfileiradas. Senta-se em uma mesa e quase se participa da conversa ao lado. Pelo pequeno espaço é impossível ficar indiferente ao samba, que te invade por todos os lados.

É fácil pedir a música, é fácil participar da roda, é fácil sair cantando e sair de lá feliz por se sentir parte daquilo tudo.

O samba lá é paulistano, é choro, é das antigas. E quem aparece, apaixonado por samba. Não estranhe se seu vizinho de mesa de repente tirar um cavaco e entrar na roda. Não estranhe se tiver mais músicos na banda do que na platéia.

O dono anda para lá e prá cá, serve as mesas e dá o nome à casa. Conta com a simpatia do filho, o pequeno Zé Maria. Moleque, que como dizem, já nasceu com personalidade pronta. Assim como o bar.

Este é o Bar do Cidão, entre e sinta-se em casa.

Onde: Café Du Revé, vulgo Bar do Cidão - rua Deputado Lacerda Franco
Quando: de domingo a domingo
Quanto: R$ 8



sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Ernesto Pires - Anhanguera Dá Samba


Não preciso nem mais escrever.

Chegou a última sexta do mês, o fim de semana vem aí. O sangue começa a esquentar o coração do sambista. Como sempre o excelente Anhanguera Dá Samba está aí para mostrar grande nomes do samba.

E este mês, o convidado especial é o cantor e compositor Ernesto Pires, figura carimbada nas melhores rodas de samba do Rio de Janeiro. No repertório composições suas e de grandes mestres da música brasileira, valorizadas pela sua forma singular de interpretar o samba.

Ernesto - que já morou em São Paulo e até gravou um samba seu em homenagem ao bairro do Bixiga - é um intérprete diferenciado, bamba no sincopado e no partido, que tem na sua maneira de dividir o samba a sua peculiaridade mais saborosa.

Onde: Clube Anhangüera: Rua dos Italianos, nº 1.261
Quando: 25/09
Horário: 23h00.
Quanto: R$ 10,00

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Shows pela semana!


Boa noite,

Neste final de semana teremos duas excelentes opções bem paulistanas para cutir.

Quem começa a programação do samba é a conhecida das casas paulistana, a doce e carismática Dona Inah.

Dona de uma voz com um trimbre único, a ganhadora do Prêmio Tim de Revelação do ano de 2005 apresenta um repertório baseado em seus dois últimos trabalhos Divino Samba Meu (2004) e Olha quem Chega (2008). Com muita sensibilidade, imprime sua marca em composições memoráveis de grandes mestres do samba de raiz. Por coincidência o show recente de Dona Inah se baseia em canções da outra atração do fim de semana. A apresentação da cantora será em São Bernardo do Campo, no teatro Cacilda Becker.

Presente por todo este final de semana, o compositor, cantor e violonista Eduardo Gudin, costuma se apresentar acompanhado de outros intérpretes e músicos, mas desta vez estará de violão e voz revelando seu estilo particular bem como suas influências musicais. Passeando pelo repertório de seus 15 discos gravados, apresentará clássicos de sua carreira, além de solos de violão, homenageando Baden Powell, Garoto e Dilermando Reis. O show acontecerá na charmosa Casa de Francisca e terá um tom bem intimista com um dos maiores compositores da cidade de São Paulo.

Quem: Dona Inah
Quando: 25/09
Onde: Teatro Cacilda Becker em São Bernardo do Campo
Quanto: gratuito (300 convites disponíveis uma hora antes, limitados a 2 por pessoa, na bilheteria)

Quem: Eduardo Gudin
Quando: 25, 26 e 27/09
Onde: Casa de Francisca - Rua José Maria Lisboa 190
Quanto: R$ 35

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Terreiro Grande


Boa noite,

As rodas de samba são o berço deste ritmo que nos contagia. Principalmente nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, as rodas acabam se tornando projetos, grupos musicais e a essência do samba.

No livro “Partido-alto, samba de bamba”, Nei Lopes explica como no início do século, principalmente no Rio de Janeiro, as rodas de samba, terreiros e umbigada foram co-responsáveis pelo surgimento deste que se tornaria o ritmo mais conhecido do país.

Explica em seu livro que enquanto nas casas os músicos apresentavam sambas canção, nos quintais e fora da casa, o que rolava era samba de partido alto e samba de roda responsável pela evolução do samba e por novas composições.

Diversas pessoas julgam estes estilo de samba como “menores” que o samba clássico, menosprezando a força desta vertente do samba. E cabe ressaltar que o rótulo é dado por nós, mas que o samba surge sem esta intenção de ser partido, samba-canção, conforme a inspiração do artista.

Até hoje são encontrados nos quintais, comunidades e grupos de amigos, as rodas que levam o samba para frente e que revelam artistas e compositores. Afinal de contas, muitas vezes a popularização e a união de artistas acontecem nestas rodas.

Em São Paulo não poderia ser diferente, e a roda que vem agradando há algum tempo é uma que se apresenta ora no Tatuapé, ora em São Matheus e até no Teatro Fecap.

O grupo Terreiro Grande traz amigos que cantam e tocam sambas pouco conhecidos dos compositores antigos ligados à escola de samba. Eles vêm do Grêmio Recreativo Tradição e Pesquisa Morro das Pedras, da periferia de São Paulo, fundado em abril de 2001 e que encerrou as atividades em dezembro de 2006. Sobre os "meninos", Cristina Buarque e grande patrocinadora do grupo diz: "Uma roda de samba com eles pode durar 8 horas sem repetir o repertório. A música, para eles, é alegria e diversão – todos trabalham em outras áreas – e não existe aquela vaidade e hipocrisia tão comuns hoje em dia".

Para quem busca um samba conhecido e famoso, esta não é muito a onda dos meninos, que cantam músicas antigas e com repertório aprofundado nas raízes do samba. Fizeram recentemente um show especial em homenagem a um dos grandes partideiros: Candeia.

O grupo é divertido, irônico e foge saem um pouco do lugar comum e politicamente correto que atinge a nossa sociedade. E se assumem como bons bebedores e boêmios.

Quem: Terreiro Grande
Dia: 19 de setembro à partir das 16h00,
Onde: Bar Mano Véio. Rua Manoel Morato, 128 - Jd. Vila Carrão, São Matheus

Ps: agradecimento ao Zé pela dica.