quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Rio de Janeiro continua lindo

Entrada da Quadra da Portela em Osvaldo Cruz/Madureira
Não, não é ufania, nem tampouco descaso às razões e problemas sócio, econômico, culturais. Sim, existe a violência, sim, exista a corrupção. E existe ainda a pior complacência do poder público em relação aos temas citados, mas continuo afirmando e reafirmando: o Rio de Janeiro continua lindo.

E me refiro mais do que a topografia que caracteriza a cidade, mais do que as extensas praias recheadas de esportes, pessoas bonitas e democracia. Me refiro a um estilo de vida e da ligação tão forte desta cidade com a música.

No feriado que se passou fui viajar ao Rio de Janeiro e fiz uma verdadeira incursão ao samba. De Madureira à Lapa, de escola de samba à roda, do popular ao refinado. E o que vi? Vi um povo que conhece suas raízes, que valoriza o que é de sua terra e que transpõe para a vida a forma brasileira de viver e a musicalidade de um povo. Me refiro mais do que ao pejorativo jeitinho brasileiro e ao ócio desmedido que falsamente caracterizam esta cidade.

Digo da integração deste povo com sua terra, e do sentimento de se sentir parte do que se é construído. Alguém duvida que a auto estima, e se sentir parte da sociedade ajuda a melhorar a vida de qualquer um e do país?

E assim foram minhas caminhadas boêmias pelo Rio de Janeiro, começando no sábado a tarde acompanhando a linda homenagem a Zé Ketti em Madureira, na quadra da Portela. Com presenças importantes de Elton Medeiros, VG da Portela, Monarco, Zé Renato e mais alguns artistas. Na noite a pedida foi ir ao lindo Trapiche Gamboa para ver o Galocantô cantando só sucessos. Bar esta que é o cenário para o programa Samba na Gamboa de Diogo Nogueira.


 

Domingo o dia foi da preguiça, e esticar as pernas no Arpoador para curar a ressaca, e terminar a tarde tomando uma cervejinha em Ipanema/Leblon. A noite ver um samba de roda na Lapa e dormir mais uma  vez inebriado pelo som do samba e pela maresia que ronda aqueles ares.

Segunda para mim foi o melhor dia. Logo após o almoço rumamos para uma das melhores rodas de samba que já frequentei. Repertório sensacional, público amistoso, roda de primeira, compositores, cantores e músicos idem, e por fim as canções entoadas pela população sambística era de emocionar e de tocar a alma. Este samba fica no Andaraí e acontece toda segunda-feira, e conduzida pelo grande Moacyr Luz ganhou o divertido apelido de Samba do Trabalhador, e em plenas segundas-feiras arrasta multidões ao seu entorno.

 

E na noite da segunda-feira a grande pedida foi ver a nova casa do Cordão da Bola Preta recebendo o show de Moyseis Marques e Teresa Cristina. A casa tem alguns bons pontos a melhorar, como por exemplo o caixa, o banheiro e a entrada, mas o show foi sensacional.

 

Coloquei algumas fotos no flickr, e podem ser conferidas na lateral direita do blog, e divido com vocês alguns vídeos que fiz nas andanças. Espero que sirva como bom roteiro a quem visitar ao RJ. Mas digo, os roteiros do samba parecem infinitos.

O Rio de Janeiro, definitivamente, continua lindo. 

4 comentários:

Augusto Amato Neto disse...

Belo texto, amigo Renato!
Fica a vontade de experimentar o samba direto de onde ele nasceu e renasce todos os dias. Me convide na próxima ida, quero ver com meus próprios olhos se o Rio de Janeiro continua lindo.
Abraço.

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Analista de Suporte. Melissa.

Renato Rotta disse...

Amigo Augusto,

O samba liberta a alma e convoca todo meu bem estar. A presença de amigos como você e e outros que conheço desde criança são sempre bem vindas. Lembro-te que dia 6/11 farei anos e sua presença é aguardada para o veneno e sedução que acontecerá num samba lá no Centro.

Abraços

Renato

Renato Rotta disse...

Obrigado Consultora Educacional. Se nao for um spam, é claro. haha