terça-feira, 17 de março de 2009

Personagem da semana: João Nogueira


Hoje vou falar deste cara Madeira, figura emblemática do samba, um dos sambistas mais completos da história do samba e de quem sou particularmente admirador.

João Nogueira nasceu no dia 12 de novembro de 1941 e com 17 anos já era diretor de um bloco carnavalesco no Méier, mostrando que se tornaria um dos defensores dos blocos cariocas e da tradição do samba.

Com 30 anos figurou entre a ala dos compositores da Portela e só saiu da Escola para fundar uma nova escola: Tradição. Além disto fundou um dos blocos que até hoje é sucesso na voz de seus filhos, o Clube do Samba, que inclusive é um hit do samba.

Nogueira se projetou na emergência do samba dos anos 70 e ficou marcado pelo estilo particular, calcado na ginga, suíngue e o vozeirão cadenciado que toca a alma.

No meu modo de ver fez de um dos grandes álbuns de samba, Parceria, um show ao vivo com o genial letrista e sambista Paulo Cesar Pinheiro. No total gravou 18 álbuns e construiu parcerias com diversos outros sambistas de peso.

O "sambista de calçada", como ele se apelidava, foi em paz e praticou seu credo musical até a última nota, e como disse Tárik de Souza, "o gênero perdeu ao mesmo tempo um ourives de alto refino e um militante de rua". João Nogueira é nó na madeira, é homem de um braço só, é espelho e é minha missão.

Músicas indispensáveis: Súplica, Minha Missão, Eu hein Rosa, Nó na Madeira, Batendo a porta, Um ser de luz, E lá vou eu, e muita muitas mais.

2 comentários:

Fernando Macedo disse...

Sensacional o post hein Sêo Renato! É de se aplaudir de pé a obra desse gênio do samba. João Nogueira! Salve salve mestre!

Renato Rotta disse...

Grande homem grito.

Obrigado por sua ilustre presença.