segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Dia de graça


Boa noite,

Hoje a tarde faleceu um dos maiores compositores de samba contemporâneo. Apelidado, por Nei Lopes, de Luiz Carlos da Vila o poeta nasceu em 1940, em Ramos - zona norte do RJ - onde, mais tarde, seria uma dos participantes e presentes do legendário bloco Cacique de Ramos. No bloco despontaram também outros grandes nomes do samba como Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Sombrinha, entre outros. Um dos grandes sucessos de Luiz Carlos é justamente "Doce Refúgio", que compôs em homenagem ao bloco.

Segundo o livro "Heranças do samba" de Aldir Blanc e Luiz Fernando Vianna, o samba sofreu uma grande revolução com estes compositores na década de 80, que escancararam o samba partido alto, feito no fundo do quintal e reinventaram uma nova forma de tocar o samba, principalmente na evolução de percussão e dos instrumentos.

Luiz Carlos é conhecido como um sambista que, em suas músicas, retrata a realidade, o espírito e a alma do cidadão urbano através de canções alegres, espirituosas, porém sem nunca despreocupar-se com os diferentes aspectos da realidade política e social de nosso povo. Além de ser reconhecido por seus parceiros como um excelente letrista, pois criava as letras de acordo com que a melodia pedisse.

Compôs sucessos como o samba que levou a Vila Isabel à sua primeira vitória: Kizomba (A Festa da Raça), sendo este um de seus sucessos mais populares, sempre lembrado nas rodas de samba. Gravou também clássicos como Além da Razão, O show tem que continuar, Amor agora não, Romance dos Astros, Um samba que nem rita a dora, entre outros sucessos.

Apreciador de uma boa farra, de Candeia, e deste Brasil, Luiz Carlos da Vila deixará saudades, mas suas músicas continuaram a incandear nossos dias. Axé!

"O sonho não acabou e nem acabará
é luz de eterno fulgor Candeia"

2 comentários:

Melissa disse...

Sei que você o adorava. Foi quem me apresentou a sua música.
Sinto muito. Lindo post.

Rodrigo disse...

Belo post!
Muito bom! Ele esteve em nosso último aniversário!